17:29 pm - quinta-feira, 30 março , 2017

Diretora de escola pública no Rio é flagrada oferecendo suborno a alunos

Publicado Por | 15/01/2013 | 0

A diretora de um colégio público estadual em Nova Friburgo, região serrana do Rio de Janeiro, foi exonerada após ser flagrada em vídeo oferecendo dinheiro para que alunos participassem da prova do Saerj (Sistema de Avaliação da Educação do Estado Rio).

Sirlene da Cruz Figueira, que dirigia o Ciep Luiz Carlos Veroneze, foi destituída do cargo depois que vazaram dois vídeos gravados pelos próprios alunos que mostram a diretora negociando a participação dos jovens em troca de pagamento. A história foi revelada hoje pelo jornal “O Dia”.

O Saerj é uma prova ministrada pelo Governo do Estado do Rio e as escolas mais bem avaliadas recebem uma quantia em dinheiro. Um dos critérios de avaliação é a participação dos alunos.

Dois vídeos foram postados no youtube. A diretora aparece nas imagens explicando que após a avaliação os alunos receberiam R$ 90 para dividir.

No final da gravação um aluno reiteira os termos: “Noventinha, diretora?” pergunta ele. “Terminou, você vai dar o dinheiro?”, completa.

Em um segundo vídeo, a diretora aparece contando o dinheiro –a filmagem não capta as notas, mas fica claro o movimento de contar as cédulas. “Estou dando um presente de formatura e vocês vão dividir [o dinheiro] lá na casa de vocês”, disse ela.

A secretaria estadual de Educação confirmou a exoneração e informou que foi aberta uma sindicância para apurar o fato e saber se há mais algum funcionário além da diretora envolvido. Ainda de acordo com a secretaria, a prova do Saerj não será anulada e o resultado será divulgado no primeiro semestre do ano que vem.

De acordo com a pasta, as premiações podem chegar a até três salários a mais para cada funcionário. A secretaria explicou, porém, que o Saerj não é a única maneira de as escolas garantirem a bonificação.

Critérios como frequência mínima dos docentes, currículo mínimo de aulas e lançar as notas dos alunos na internet dentro dos prazos também são levados em conta. “Cada escola recebe bônus de acordo com sua realidade”, informou a secretaria em nota. Fonte: Folha de S. Paulo – 22/12/2012

 

email
Categoria: Geral

Sem Comentários ainda.

Deixe seu Comentário