03:17 am - sexta-feira, 28 abril , 2017

Lula e a mulher orientaram reforma no sítio de Atibaia, diz Polícia Federal

Publicado Por | 01/08/2016 | 0
DEFESA_REFORA_LULA_NO__DONO_DE_STIO_E_IGNORAM-SE_PROVAS(1)

Polícia encontrou documentos e notas fiscais de outras melhorias no sítio.

Encontrou também mensagens em que arquiteto conta detalhes da obra.

Peritos da Lava Jato concluíram que o ex-presidente Lula e dona Marisa orientaram a reforma da cozinha do sítio, em Atibaia. A polícia encontrou documentos e notas fiscais de outras melhorias no sítio.

Encontrou também mensagens de celular em que o arquiteto Paulo Gordilho, ex-funcionário da OAS, conta a um amigo detalhes da obra.

DEFESA_REFORA_LULA_NO__DONO_DE_STIO_E_IGNORAM-SE_PROVAS(1)O laudo de quase de cem páginas é resultado do cruzamento de diversos documentos, fotos e mensagens de texto apreendidos pela Lava Jato no sítio em Atibaia e nas casas de Fernando Bittar e Jonas Suassuna, que aparecem na escritura como donos da propriedade, e também no apartamento do ex-presidente Lula. Lá, a polícia encontrou notas fiscais de materiais entregues no sítio. Como a de uma porta que custou quase R$ 6 mil.

A Polícia Federal diz que as obras começaram em novembro de 2010, quando Lula ainda era presidente. E que custaram mais de R$ 1,2 milhão. Entre as melhorias, a ampliação da garagem, aconstrução de uma cobertura, a reforma do hall e da sala de jantar, a construção de um píer para o lago, de uma sauna e a ampliação da piscina.

Foi na casa de Paulo Gordilho, ex-funcionário da OAS, que a Polícia Federal encontrou provas de que o Lula e Dona Marisa não só sabiam como deram orientações sobre a reforma da cozinha gourmet. O laudo afirma que o arquiteto viajou até Atibaia exclusivamente para tirar dúvidas do casal. Gordilho cumpria ordens de Léo Pinheiro, dono da OAS e condenado na Lava Jato.

Em uma foto, Gordilho aparece ao lado do ex-presidente Lula. As investigações indicam que a foto foi tirada no sítio em fevereiro de 2014, quatro anos depois de Lula ter deixado a presidência.

Em uma mensagem de celular, Gordilho diz a um amigo: “Sigilo absoluto, hein, amanhã vou em um churrasco em Atibaia com Léo, é na fazenda de Lula, vamos encontrar com ele na estrada e vou passar o dia lá com ele e Dona Marisa”

Gordilho comenta ainda que Lula e Dona Marisa não se entendem sobre a reforma: “Ele quer uma coisa e Marisa outra, e lá vai eu e Léo dar opinião”.

O amigo pergunta: “Sobre? Aquitetura?”

Gordilho responde:  “Na casa e na lagoa que está vazando”.

Depois, Gordilho escreveu sobre o encontro com Lula: “O meu líder é gente muito boa, agora mais ainda, bebemos eu e ele uma garrafa de cachaça e umas 15 cervejas”.

O amigo pergunta: “E deu para dar solução para o problema? E Marisa? Vixe.”

Gordilho responde: “Vou encontrar a Marisa esta semana. Ele pediu para tirar umas ideias dela. Ele disse: ‘Companheiro, a Marisa já gosta de uma gambiarra’”.

Em uma outra conversa, Paulo Gordilho fala com Léo Pinheiro sobre a reforma da cozinha gourmet. Léo Pinheiro diz: “Vamos abrir dois centros de custos: 1ª  Zeca Pagodinho (sitio), 2º  Zeca Pagodinho (praia).

Praia seria uma referência à reforma do triplex do Guarujá, tanto que em outro trecho da conversa, Gordilho diz:

“Doutor Léo, o Fernando Bittar aprovou junto a dama os projetos tanto de Guarujá como do sítio. Só a cozinha Kitchens completa pediram R$ 149 mil. Ainda sem negociação. Posso começar na semana que vem. É isto mesmo?”

Léo responde: “Manda bala”.

Os peritos também descobriram um e-mail  que Paulo Gordilho mandou para Fernando Bittar, sócio de um dos filhos de Lula, Fábio Luís. Sete minutos depois, Bittar encaminha o mesmo e-mail para Sandro Luiz Lula da Silva, outro filho de Lula. Em anexo, a maquete digital da cozinha do sítio, com a logomarca da OAS e com informações do vendedor da empresa Kitchens.

Para comparar, os peritos fotografaram a cozinha de R$ 252 mil depois de pronta. Praticamente igual ao projeto.

O Instituto Lula declarou que o ex-presidente reafirma que não é o proprietário do sítio ou do apartamento em Guarujá ou em qualquer outro lugar do litoral brasileiro. E que o ex-presidente sempre agiu dentro da lei antes, durante e depois da presidência da República.

defesa de Fernando Bittar disse que o cliente tinha contratado uma arquiteta para a reforma da cozinha, mas que, por sugestão de Dona Marisa, a obra foi feita pela OAS. Que Bittar procurou a construtora para cobrar a conta, mas que recebeu “respostas evasivas” de que o assunto seria tratado depois. A defesa afirmou ainda que Bittar fez várias melhorias no local, com valorescompatíveis com o patrimônio dele.

As  defesas da OAS e de Léo Pinheiro não quiseram se manifestar.

O Bom Dia Brasil não conseguiu contato com a defesa de Paulo Gordilho. Fonte: G1 e Jornal de Floripa

email
Categoria: Brasil, Política

Sem Comentários ainda.

Deixe seu Comentário