09:12 am - quarta-feira, 18 outubro , 2017

Professora de Santos diz ter quebrado, sem querer, cruz em Ouro Preto…

Publicado Por | 24/02/2012 | 0
M_132743421163

 

Sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012 – 13h43

Patrimônio

Professora de educação artística de Santos assume ter quebrado cruz em MG

Apenas uma das três jovens santistas será responsabilizada por quebrar a Cruz da Ponte da Barra, em Outro Preto. A informação é do delegado regional Valfredo de Sá Filho. A professora de Educação Artística Larissa Silva F. de Almeida, de 26 anos, assumiu sozinha a culpa pelos danos ao monumento.

Segundo o delegado, Larissa não quebrou a cruz propositalmente. “Ela subiu no monumento para tirar fotos. Quando precisou se apoiar, o braço da cruz  se soltou. Ela poderia ter se machucado muito”, conta.

Valfredo ouviu as outras duas testemunhas de Santos que estavam no local no momento do incidente.  Uma delas, que preferiu não se identificar, garante que não conhecia Larissa. “Eu e a minha amiga (também de Santos) conhecemos Larissa em Ouro Preto. Nós não temos nada a ver com a queda da cruz. Nem sei se ela está em Santos ou Ouro Preto.”

A peça talhada em pedra Itacolomi tem mais de 200 anos e foi quebrada no domingo. As três foram levadas para a delegacia, mas não precisaram pagar fiança, de acordo com o delegado.

No entanto, Larissa assumiu a culpa e terá que comparecer ao Juizado Especial Criminal do município. A data ainda não está definida. Ela responderá por crime contra ordenamento urbano e patrimônio cultural, previsto na Lei 9605.

O prefeito da cidade, Angelo Oswaldo, diz estar inconformado com o incidente. “Logo uma professora de Educação Artística deveria ter a consciência da importância dos monumentos para o patrimônio cultural da cidade. Foi muita imprudência”.

A reportagem tentou entrar em contato com Larissa, mas não conseguiu localizá-la.


Patrimônio Cultural

O Secretário Municipal de Patrimônio e Desenvolvimento Urbano de Ouro Preto, Gabriel Gobbi, afirma que a Prefeitura e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) vão entrar com uma ação contra Larissa. “De acordo com o Boletim de Ocorrência, somente ela será indiciada, então, será penalizada pela imprudência”.

Gobbi explica que a Ponte da Barra, onde fica a cruz, fica em um local afastado do circuito tradicional do Carnaval de Ouro Preto, por isso, não foi protegida como outros monumentos.

“Nós isolamos com madeira os monumentos que ficam nos pontos de maior aglomeração de turistas. A Ponte da Barra está na Zona Especial de tombamento da cidade. Toda a ponte, inclusive a cruz, é tombada como patrimônio cultural”.

Gobbi ainda ressalta que a cruz é antiga e somente para observação. ‘A estrutura não suportou o peso da moça e se rompeu. Nós iremos providenciar placas de aviso e, para o próximo Carnaval é bem provável que mesmo os locais afastados tenham reforço na proteção. Evitamos fazer isso justamente para que quem não goste de pular Carnaval possa observar os monumentos e tirar fotos”, explica o Secretário.

Larissa terá que pagar pela restauração da cruz, de acordo com Gobbi. “Divulgaram que a restauração ficaria em torno de R$ 3.000, mas eu não tenho certeza ainda, não recebi o laudo final. Devo ter isso em mãos na segunda-feira”.

A expectativa da Prefeitura é de que a cruz esteja novamente na Ponte da Barra na Semana Santa, quando a cidade também fica repleta de turistas. “Apesar da restauração, o que aconteceu foi uma pena porque o monumento fica comprometido, não será o mesmo”, lamenta Gabriel Gobbi.

email
Categoria: Principal, Santos

Sem Comentários ainda.

Deixe seu Comentário